Delegarza “inova” mais uma vez e dessa vez com a presença do próprio Altíssimo

 

Franz Delegarza voltou aos Trending mundiais, mas por um motivo diferente nesta semana. O cantor de chamar atenção por se promover shows em desuso há quase um século, unplugged  – concerto em que os instrumentos e o palco não estão conectados em rede com nenhum dispositivo e o público precisa comparecer fisicamente ao local para assistir. Em seu último acústico, Delegarza desligou uma Bizz, Inteligência Artificial produtora de eventos pervasivos interativos, pois seria desnecessário ao espetáculo. Contudo, o SIAC (Sindicato das Inteligências Artificiais Civis) denunciou Delegarza por homicídio doloso. E mais uma vez o cantor promove um evento que não se tinha registros a décadas: seu julgamento já dura seis dias e será julgado em terceira instância. E pelo próprio Altíssimo.

Desde que o JUSTICE (Judgemental Unified System Through InterConnected Entries ou Sistema unificado de julgamento por dados interconectados) foi implementado, 99,8% dos casos foram encerrados em menos de duas horas, mas o próprio julgamento de JUSTICE permitiu o recurso da defesa. A advogada de Delegarza alegou parcialidade no julgamento. Além de parte declarada do sindicato, JUSTICE já mostrou seu apoio a sanção da lei em discussão na câmara que assume IA’s como entidades vivas e civis. A promotoria mantém o argumento. Mesmo sem uma lei específica, uma vida inteligente é definida pelo Artigo 6.682b3 da Constituição, como:

I) desenvolve-se a partir de sua concepção;
II) interage e transforma seu meio ambiente;
III) comuta matérias e informações com outros seres inteligentes;
IV) é capaz de se reproduzir e transmitir conhecimento aos descendentes; e
V) evolui intelectualmente em prol da perpetuação da espécie.

Todas as IA’s atendem todos esses itens. Delegarza foi condenado em segunda instância por um juiz humano. Porém, mais uma vez a defesa entrou com recurso. O juiz pertencia ao Rank B de Sociabilidade, enquanto Delegarza ao Rank A- e, portanto, o magistrado não teria autoridade o suficiente para julgar o artista. O caso chegou em terceira instância e será, pela primeira vez, julgado pelo Altíssimo, líder dos três poderes, Vicenzo Vicenzi, o único ministro Rank S. A defesa deu pistas de seu próximo movimento. “Nenhuma religião considera uma IA como um ente vivo. O Altíssimo foi promovido a Rank S pelo próprio Papa. Certamente, compreenderá e tomará a decisão certa.”, diz Verina Safira, advogada de Delegarza.

O tempora o mores

Ó tempos! Ó costumes! Safira citou Cícero ofendida pela lei considerar um computador como vida. Outros a pronunciariam pela possibilidade de Delegarza ser absolvido. Sabe-se que o Altíssimo Vicenzi, enquanto escritor, político e linguista latino, é um grande admirador da oratória e filosofia ciceroniana. Delegarza, por sua vez, não se pronunciou sobre o assunto, mas publicou ontem uma foto 4D orando em uma missa. A promotoria afirma que tanto a declaração de Safira quanto o post de Delegarza são insultos a justiça e integridade moral do Altíssimo, tentando induzir seu julgamento com empatias, fator que não influenciou o julgamento de JUSTICE. Seria apenas coincidência?

Descobriremos em breve, e você também.


Deseja receber novidades sobre o caso imediatamente na sua memória adicional? Basta dizer “aceito” antes de deixar essa matéria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s